30 maio, 2017

O silencio cura tudo

A minha vida foi sempre muito mais de silencio do que de agitação com palavras e gestos ou exibicionismo para ser o centro das atenções.

Image result for silêncio

Talvez por isso eu seja tão atacada por aqueles que se incomodam com meu silêncio. Ou quando eu me manifesto é tão inesperado, que isso também gera incomodo. Para algumas pessoas eu deveria ser uma estátua de Buda. Imóvel num pedestal. Mas tenho cá minhas dúvidas se como estátua ainda assim não incomodaria algumas pessoas. 

Mas de onde vem esse incomodo? Sou eu que provoco? Ou ele já está com a pessoa? Geralmente só olhamos para fora. Para o outro. Apontamos para o outro porque se olharmos para nosso incomodo não o vemos e se o vemos não o suportamos. Então vivemos a apontar os erros dos outros como se fossemos a palmatória do mundo. Acho triste quem toma esse tipo de tarefa para si. Nem Buda o foi, nem mestres históricos tampouco os que conheci. Minha mestra sempre dizia, quando se cometia algum erro:"Peça desculpas, isso desarma o opressor. Vá e resolva isso e esqueça. Não alimente isso por muito tempo." 

Image result for silêncio


Eu faço isso, mas é difícil não notar quando a pessoa se proclama algo e faz exatamente o oposto. 
Ninguém presa mais pelo silêncio do que eu. Mas se vc. conseguir fazer um voto longo de silêncio terá meu respeito. Porque o silêncio cura tudo. E se não curou é porque vc. tem ir lá e pedir desculpas. Se prostrar para a pessoa e reverencia-la como ser iluminado. Mesmo que dento de você essa pessoa tenha morrido. Que nada mais sobre essa pessoa te interessar Se vc. não pode pedir desculpa, então, não haverá paz no seu coração.

01 maio, 2017

Método Zen: Esvaziar ou encher a mente

Quando vamos a retiros zen budistas e de outras escolas budistas também, o professor pode nos pedir para fazer tarefas que tem um único objetivo: esvaziar a mente. em geral essas tarefas tem a ver com trabalho físico. Zezen é um trabalho mais físico que mental. O tempo que se passa sentado em zazen exige uma disciplina mental, sim, mas resistência física ao desconforto de se ficar sentado também.

Muitas pessoas desprezam os afazeres domésticos achando que estão perdendo tempo produtivo. pessoas mais intelectuais tendem a achar que perdem tempo limpando a casa e lavando a louça e que podem perfeitamente delegar essas tarefas a terceiros (serviçais pagos para isso). Não sabem a magnifica oportunidade de esvaziar a mente que desperdiçam cotidianamente.

Há os que ficam entediados com tarefas do dia-dia, mas não tem que faça essas tarefas então ligam o som e enchem a mente de letras e ruídos para ilusoriamente terem a sensação que o tempo dedicado a essas tarefas passou mais rápido. Mais uma vez desperdiçaram uma nobre oportunidade de esvaziar a mente. 

Em geral, o que se usa no budismo para encher a mente é repetir um mantra. Recitar um sutra, ou cantos. 

Ambos métodos são importantes e cada um deve saber identificar o seu. se não souber o professor pode, observando seu aluno e conversando com ele, recomendar o que ele deve fazer. Se esvaziar ou encher a mente.

Resultado de imagem para cortar grama com tesoura


Certo dia precisava cortar a grama. A máquina não funcionava. Então eu peguei a tesoura de cortar grama. Ajoelhei num plástico e fui cortando, ao todo dois quadrados de 3x3 metros. Lentamente, sem suar, pois atrairia os mosquitos. Levei quatro dias ali ajoelhada cortando a grama, mas minha mente ficou tranquila nessa tarefa. Observei o olhar das pessoas e imaginei o que estariam pensando ao me ver cortando grama de forma mais rústica, pouco usual nos dias de hoje. Talvez me achassem doida, sovina por não ter uma máquina ou por não pagar a alguém para fazer o serviço rapidamente. Mas desde aquele dia decidi só cortar a grama assim, para esvaziar a mente. Ninguém jamais saberá as razões de eu cortar a grama assim e seguirão pensando o que quiserem, mas eu sei e é isso que importa.